sexta-feira, 18 de maio de 2012

O tempo passa e o governador Wilson Martins não consegue realizar grandes obras

Estamos caminhando para um ano e meio de governo do Sr. Wilson Martins e por incrível que pareça, ainda não podemos comemorar a realização de uma grande obra. A continuar como estar o governo do PSB marchará para se igualar ao governo de Wellington Dias, que no meio do seu trivial, sequer conseguiu fazer estradas de boa qualidade, selando o seu governo como realizador de estradas sonrisal. Delas que se acabaram com menos de dois anos de construídas.
O governador anunciou a construção do propalado rodoanel, onde vai aplicar recursos do tesouro estadual que poderá custar entre R$ 80 e 100 milhões, até o final da obra. Vale lembrar que para o rodoanel de Fortaleza, a Presidenta Dilma mandou o dinheiro da obra, num total de R$ 200 milhões livrando os cearenses de usar dinheiro do tesouro estadual.
A obra do Porto virou um lenga-lenga, já do conhecimento do público, afinal, esse sonho que tem mais de um século. Já virou pesadelo dos piauienses. Sequer existem recursos definidos para a construção do Porto de Luiz Correia. E o mais grave: não existia projeto do porto, agora que o governo do estado mandou fazer o projeto da tão encantada obra.
Não temos uma informação de esperança qualquer de recursos para a tão reclamada obra pelos produtores rurais do sul do Piauí a tão esperada rodovia Transcerrado, que também, já está virando um sonho irrealizável.
A ferrovia pelo visto, também não será recuperada, enquanto isso, o estado fala em ZPE num contra censo irresponsável de quem quer botar o carro adiante dos bois. Ora, aonde já se viu uma ZPE ter sucesso sem porto de mar ou uma ferrovia para receber produtos de montagem e escoar tudo que for montado nas montadoras? Algo difícil de ser concebido. Não dá para aceitar tanta mediocridade.
Para o turismo, até aqui, nada de novidade e muito menos a geração da estrutura necessária para que o nosso litoral comece a receber vôos charters. Outro fracasso que sai governo e entra governo e o turismo continua de pior a pior. Nada de progresso embora tenhamos um acervo extraordinário desde a Serra da Capivara até o majestoso Delta do Parnaíba.
Não temos nenhum projeto arrojado na CODEVASF, na SUDENE e muito menos nossos governantes decidem implantar o Grande Teresina, também por falta de planejamento e de projetos para os 13 municípios inclusive Timon no Maranhão, que juntos, formam o Grande Teresina.
Afinal, o que nós temos mesmo para comemorar? Alguém pode explicar? A Suzano que ia implantar uma fábrica de celulose no Piauí, mais precisamente em Palmeirais, adiou o seu projeto para depois de 2015.
É gente, infelizmente, estamos vivendo mais um governo de inércia e de poucos acontecimentos que mereçam da população acreditar que teremos um governo profícuo e realizador. Ou o governador acorda para esse real quadro de desestímulo, ou, correrá o risco de fazer um governo pior do que fez o Sr. Wellington Dias.
O Piauí, não tem um grande projeto de desenvolvimento sendo implantado e para tristeza nossa não podemos acreditar que o governador tenha condições de dar rumo ao seu governo, pois insiste no erro crasso de buscar recursos para obras públicas, esquecendo de buscar uma consultoria capaz de atrair grupos empresariais, capital privado, única saída, para ajudar no desenvolvimento do estado, gerando PIB, riqueza, emprego e renda.
É governador já somamos 9 meses do seu primeiro governo, 17 do segundo, e até aqui, não temos o que comemorar. Que pena. Coitado do Piauí e em especial de sua juventude, sem esperança de um futuro promissor. É esse o nosso lembrete. Jogo aberto.