sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Zé Filho, prestes a ser governador, dá 'bombaquin': ficou feio pra ele

O vice-governador Antonio José Moraes Souza Filho, o Zé Filho (PMDB), não foi a um evento que ele mesmo marcou, através de sua assessoria, e na sede do órgão que administra, a FIEPI, na noite desta quinta-feira (20/02).

Deu o famoso ‘bombaquin’, como aqui no Piauiês chamamos quando alguém falta a alguma coisa. Geralmente esses ‘bombaquin’ a gente dá quando marcamos com alguém num lugar qualquer e não vamos. Agora chamar a pessoa pra nossa própria casa e nos ausentarmos... putz!
Zé Filho, que está prestes a se tornar governador do Piauí com a iminente saída de Wilson Martins (PSB) para ser candidato a senador nestas Eleições 2014, tem a sua imagem arranhada com uma dessas. No evento, um jantar festivo, estavam empresários, representantes da AIP, e jornalistas (eu também compareci e por sinal estava a imprensa toda: todos os veículos de comunicação enviaram equipes para fazer cobertura).
Não é uma reclamação de quem levou ‘bolo’ desse ‘bombaquin’. É uma questão de 'é este homem que vai ser o governador do estado daqui a alguns meses'! Claro que é compreensível a situação de saúde do vice-governador: ele vinha de Fortaleza (CE), em voo particular, no avião dele próprio após a sequência de um tratamento que está fazendo através de uma câmara hiperbárica, após uma cirurgia que fez na perna. No entanto, se havia recomendações médicas, para pegar voo somente tantas horas após o tratamento, porque não simplesmente adiar o evento?!
Não houve uma só explicação. Foi constrangedor. Para a assessoria de imprensa, funcionários e aliados de Zé Filho; para os empresários que preparam até um documento para fazer algumas reivindicações ao, digamos, quase futuro governador; para a imprensa, enfim: foi constrangedor pra todo mundo...

Por Alisson Paixão