sexta-feira, 9 de maio de 2014

Data AZ: Wellington Dias segue liderando a corrida ao Karnak

Na segunda pesquisa Data AZ para governador, o senador Wellington Dias (PT) aparece com 46,30% das intenções de voto – em sondagem estimulada. O pré-candidato do PMDB ao Governo do Piauí, deputado Marcelo Castro, vem a seguir, com 16,31%. Mão Santa (PSC) é o terceiro mais citado pelos eleitores, com 12,49% das intenções de voto.
Nesta pesquisa, o Data AZ colocou o nome do governador Zé Filho, que apareceu com 6,52% das intenções de voto – em quarto lugar, atrás dos indecisos (7,72%) e dos eleitores que dizem não votar em nenhum dos candidatos citados (8,67%).
O quinto colocado na pesquisa estimulada é Daniel Solon, do PSTU, com 1,99% das intenções de voto.
Em relação à primeira pesquisa Data AZ, realizada entre 20 e 24 de março, o cenário da amostra estimulada praticamente não sofreu alterações, embora tenha havido ligeira variação positiva do pré-candidato do PT e queda do candidato do PMDB.
Na pesquisa anterior, Wellington Dias aparecia com 44,39% das intenções de voto na estimulada, enquanto Marcelo estava com 19,89% e Mão Santa tinha os mesmos 12,49% registrado na atual mostra.
Pesquisa Espontânea
Na pesquisa espontânea, o pré-candidato do PT aparece com 21,88% das intenções de voto, enquanto Marcelo Castro tem 5,89% e Mão Santa tem 3,1%.
Os indecisos somam mais da metade dos eleitores quando não são apresentados nomes de candidatos a governador: 58,39% dizem que não sabem em quem votar, enquanto 4,61% declaram não votar em ninguém.
Na sondagem espontânea o governador Zé Filho aparece com 2,47% das intenções de voto e são ainda citados os nomes de Silvio Mendes (PSDB), com 1,51%, Wilson Martins (PSB), com 1,35%, Daniel Solon (0,40%), Luís Coelho 0,16%, Quem-Quem, Mainha e Rejane Dias (0,08%).
Na primeira pesquisa, a sondagem espontânea registrou um número de indecisos maior que agora: 62,05%. A amostra tinha Wellington Dias como primeiro colocado, com 17,42% das intenções de voto, contra 9,79% e 4,85% de Mão Santa.
Foram ainda citados na pesquisa Data AZ de março o ex-governador Wilson Martins (PSB), com 1,75%, o ex-prefeito de Teresina, Silvio Mendes (PSDB), com 1,27%, Luís Coelho (0,48%), o vice-governador Zé Filho (PMDB), com 0,32%, o ex-prefeito de Teresina, Elmano Férrer (PTB), com 0,24% e Daniel Solon (0,16%).
Dobradinha governista tem menos votos
Além do nome de Zé Filho como candidato a governador, outro cenário proposto da pesquisa Data AZ foi a de chapas com governador e senador juntos, conforme os comandos de campanha costumam fazer para tentar eleger os dois candidatos majoritários.
Data AZ quis saber se os eleitores votariam em uma chapa com Wellington para governador e João Vicente Claudino (PTB) para o Senado: 51,31% disseram que sim, contra 33,65% que disseram não votar nos dois. Os indecisos em relação a uma chapa fechada Wellington-João Vicente somaram 15,04%.
A situação se inverte quando o eleitor é instado a responder se votaria em uma chapa que tivesse Zé Filho como candidato a governador e Wilson Martins a senador: 53,70% dizem que não votariam nos dois, contra 25,14% que disseram votar e 21,16% que se mostram indecisos.
Uma chapa fechada para governador e senador formada por Marcelo Castro e Wilson Martins não teria o voto de 52,98% dos votos, contra 28,40% que votariam nos dois candidatos majoritários, e 18,62% que se declaram indecisos.
REJEIÇÃO
O ex-senador Mão Santa segue como o mais rejeitado na pesquisa do Data AZ. Somam 20,21% os eleitores que declaram não votar nele para governador. Marcelo Castro é o segundo mais rejeitado, com 15,73% das intenções negativas de voto, enquanto Wellington Dias tem 12,57%.

Os menos rejeitados são o governador Zé Filho, com 8,19% e Daniel Solon, com 9,55%. Há ainda 19,73% de eleitores que dizem não rejeitar nenhum dos candidatos a governador e 13,92% que não sabem ou não querem opinar.
Dilma e Lula transferem mais votos
Lula e Dilma Roussef são os grandes eleitores do Piauí, pois segundo apurou a pesquisa Data AZ, 64,76% dos eleitores votariam em um candidato apoiado pela presidente e 71,44% votariam no candidato que tenha apoio do ex-presidente.

Aecio Neves e Eduardo Campos não transferem votos
Um candidato apoiado pelo pré-candidato do PSDB a presidente, Aécio Neves, somente receberia 17,98% dos votos graças ao apoio do tucano.

Eduardo Campos aparece em melhor situação que o senador mineiro: 20,68% dos eleitores dizem que votariam em um candidato apoiado pelo pré-candidato do PSB.
Isso significa que enquanto para Dilma é mais importante o apoio dela a candidatos locais, para os seus opositores é fundamental ter no Piauí quem lhes faça conhecidos para conseguir mais votos.
Matéria extraída do Portal AZ
Veja abaixo os gráficos da Pesquisa
pesquisaAZpesquisaAZ2