trilha

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Delegacia de Policia Civil de Cocal está com dificuldades para atender a população

Como havíamos noticiado no dia 06 de Novembro do ano em curso, a crise na instituição da Policia Civil do Estado do Piaui, que iniciou com o corte no fornecimento de combustível das viaturas, está travando investigações e atendimento de diligencias na Delegacia de Cocal. CLIQUE AQUI E REVEJA  O Governo do Estado entrou em colapso e está prejudicando a segurança de todos os municipios do Piaui. 

Populares abastecendo a moto da Policia Civil para a entrega de intimações
Os Policiais Civis de Cocal estão sendo obrigados a arcar com dinheiro do próprio bolso as despesas da instituição, que vai de materiais de limpeza até água para o próprio consumo. Além disso, eles estão convivendo com o risco de não receberem seus vencimentos salariais referentes ao mês de dezembro e o décimo terceiro.

Alguns populares que precisam dos serviços da instituição, comovidos com o descaso do Governo do Piauí, estão ajudando no abastecimento de uma motocicleta modelo Honda Bros da Policia Civil, para que continue os trabalhos de entrega de intimações. Em casos de ocorrências emergenciais, os policiais estão utilizando os próprios veículos (carros e motos), de sua propriedade e uso particular, para não deixar a população desamparada.

L200 Triton recolhida da instituição por suposta falta de pagamentos com a empresa fornecedora
Como se não bastasse tamanho desrespeito para/com a população, agora uma das viaturas, uma L200 Triton, de cor cinza, adquirida por contrato de locação no ano de 2012, foi recolhida no ultimo sábado (15/11) pela empresa fornecedora. Tudo indica que a viatura também foi retida por falta de pagamento, como no caso do fornecimento de combustível. 

O Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Piauí (Sinpolpi), decidiu na manhã desta quinta-feira (20/11), durante uma assembleia geral no pátio da Secretaria Estadual de Administração, no Centro Administrativo, em Teresina, entrar em paralisação de 72h a partir da próxima segunda-feira (24/11). A decisão é um protesto ao não reajuste de R$ 600 (seiscentos reais) prometido aos servidores que estava previsto para o mês de novembro. O reajuste faz parte de um acordo feito após o movimento Polícia Legal e foi aprovado pela Assembleia Legislativa.

Viatura parada no pátio da delegacia por conta do pouco combustivel em seu tanque
A determinação é que os distritos policiais atendam apenas crimes contra a vida, estupro, crianças e adolescentes, idosos e mulheres. 

A paralisação é uma forma de pressionar o governo. Os policiais não podem ficar de braços cruzados, inativo. A paralisação é para mostrar a indignação e revolta da classe. A categoria pretende ainda publicar outdoors com fotos com o governador Zé Filho, do deputado estadual João Mádison, do ex-governador Wilson Martins, do secretário de Administração João Henrique e mais dois políticos a definir com os dizeres "Políticos inimigos do Funcionalismo Público do Piauí".

Blog do coveiro