segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

PP e PTB querem restringir participação de PMDB no governo de Wellington

Na disputa por cargos no futuro governo de Wellington Dias (PT) os partidos que estiveram ao lado do petista desde a campanha eleitoral, têm defendido que o novo governador não abra espaço demais, pelo menos neste primeiro momento, a partidos que fizeram parte da oposição durante a eleição. Essa tese tem sido defendida principalmente por lideranças do PP, PT e PTB, que pleiteiam um maior espaço e temem perder cargos importantes para legendas que apoiaram a campanha de reeleição do governador Zé Filho (PMDB).
A preocupação dos partidos é que teria muita gente entre os aliados de olho em cargos, mas que estão se sentido ameaçados com a possibilidade de cortes na estrutura do novo governo. Wellington já fechou acordos com PRB, PDT, PSD e PTC que apoiaram Zé Filho (PMDB). Esses partidos pleiteiam cargos no primeiro escalão mesmo não tendo ajudado o petista na campanha. Mas o incomodo maior é com a possibilidade de espaço para o PMDB e até mesmo para o PSB.

Deputado Themistocles Filho tem sido assediado pelo governador eleito Wellington Dias
Entre os aliados, o PTB é o que enfrenta maiores problemas para conter a sede por cargos dos aliados. O partido já teria acerta a participação em pelo menos três cargos do primeiro escalão. A secretaria de Segurança deve ficar com o capitão Fábio Abreu (PTB), o DETRAN poderá ser comandado por Alzenir Porto (PTB) e a secretaria de Trabalho estaria sendo negociada com o deputado Hélio Isaías (PTB). Mas os vereadores do partido pleiteiam pelo menos uma vaga para a bancada do partido na Câmara Municipal de Teresina.
O presidente estadual da sigla, senador João Vicente (PTB), tem tido trabalho para negociar dentro do partido a divisão dos cargos que ficaram com os petebistas. Ele tem pedido prudência e dialogo na legenda para evitar disputa. O governador eleito já teria avisado aos aliados que a indicação dos nomes fica a cargo dos partidos. 
ODia