sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Ouvidoria Geral do Estado tem novo número e endereço



Canal de comunicação entre o governo e a população, a Ouvidoria Geral do Estado está com um novo número de atendimento, mais fácil de memorização e que também atende ligações de telefones móveis para facilitar a vida do cidadão. A partir de agora, para apresentar denúncias, sugestões, elogios, reclamações sobre os serviços prestados pelo Governo do Piauí, o usuário só precisa discar 162. O órgão também está em novo endereço, localizado à Praça da Bandeira, 790, no Centro de Teresina.
Na tarde dessa quinta-feira (21), o governador Wellington Dias recebeu a ouvidora-geral do Estado, Soraya Castelo Branco, para tratar das ações do órgão para 2016.
Para o governador, a Ouvidoria é um mecanismo que contribui para que as ações do Governo atendam às expectativas da população. “Ao registrar a ligação, é dever do Estado investigar e dar uma resposta ao cidadão. Queremos divulgar ainda mais esse mecanismo para que cada órgão possa conhecer a realidade das prestações de serviços e possa sanar as deficiências. A Ouvidoria é um órgão ligado diretamente ao governador", disse Wellington.
A ouvidora-geral do Estado enfatizou que o órgão tem se modernizado para atingir o objetivo de ficar cada vez mais próximo da população. “Estamos entrando o ano com uma campanha publicitária de divulgação da nossa nova sede. A mudança no número para 162 permite ligação de telefones móveis. Antes era um 0800 que não aceitava ligação de celular e tinha muitos dígitos e o cidadão ficava sem acesso ao serviço”, afirma a gestora.
Segundo Soraya Castelo Branco, a Ouvidoria permanece com o email: atendimento@ouvidoriageral. pi.gov.br e também está distribuindo uma cartilha em que consta informações sobre o órgão e responde as principais dúvidas, como por exemplo se a denúncia pode ser feita sem identificação. 
“Denúncias, elogios e sugestões podem, sim, ser feitas no anonimato, no entanto, tem que conter o maior número de informações para uma adequada apuração. Mas é preciso lembrar que, ao não se identificar, o cidadão não poderá acompanhar o andamento e ser notificado da resposta da sua manifestação. Às vezes, falta uma informação, o cidadão não sabe para onde ir e onde recorrer, precisa de um atendimento, protocolo. Então, a Ouvidoria ajuda ao cidadão de diversas maneiras”, conclui a ouvidora-geral. 
Ccom