domingo, 5 de fevereiro de 2017

Wellington Dias discute projeto do Porto Seco e ampliação da ZPE de Parnaíba

reuniaozpe1
Em pauta, o desenvolvimento de uma estratégia para a conclusão dos estudos de viabilidade técnica e econômica, etapa final, juntamente com o projeto para garantir as condições de início das obras do Porto Seco de Teresina. “Quero trabalhar para que, ainda este ano, a gente tenha iniciado esta obra, para que em 2018 possamos entregar e alavancar o desenvolvimento do estado”, garante o governador.
Além do Porto Seco, o encontro trouxe à tona a discussão sobre a necessidade de se construir uma estratégia para a ampliação de negócios da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) de Parnaíba. Segundo Dias, focar no potencial produtivo do estado.
“Acredito que a estratégia aqui montada vai dar bons resultados. O Piauí tem grande potencial na produção de cera de carnaúba; frutas para produção de vitamina C, como acerola; a opala, e todas as possibilidades para a industrialização do nosso artesanato; a industrialização do jaborandi para a produção de medicamentos; além da produção de pescados, um setor muito forte em nosso litoral. O objetivo é gerar empregos a partir de mais investimentos”, comemora o governador.
Para o presidente da Associação Brasileira de Zonas de Processamento de Exportações (Abrazpe), Elson Braga, a reunião foi de fundamental importância para os dois projetos. Tanto o Porto Seco, quanto a ampliação dos negócios da ZPE de Parnaíba são iniciativas em estado bastante avançado.
“O governador Wellington Dias foi o primeiro relator, no Senado, do nosso projeto de aperfeiçoamento da lei da ZPE, então ele tem um envolvimento histórico com esse projeto. Não apenas em termos de Piauí, mas no país inteiro. Estamos na reta final de aprovação na Câmara Federal de um projeto de lei que vai tornar finalmente nossa legislação bastante competitiva, isso requer uma mobilização política muito forte, para garantir a aprovação, e neste momento o apoio dele é essencial sido essencial”, pontua Elson Braga.
Porto Seco E Zona de Processamento de Exportação (ZPE)
Funcionando através de uma estrutura que ampliará o poder de negociação do empresariado local, O Porto Seco de Teresina funcionará dentro de um Centro Logístico Industrial Aduaneiro (CLIA), aumentando consideravelmente a receita do Estado, com o fortalecimento da economia e maior visibilidade para a indústria local.
Já a ZPE de Parnaíba caracteriza-se por ser uma área de livre comércio com o exterior, com o objetivo de receber e instalar empresas voltadas para a produção de bens a serem comercializados no exterior, sendo considerada uma zona primária para efeito de controle aduaneiro.
Fonte: CCOM