quarta-feira, 24 de maio de 2017

Prefeitura age com descaso e coloca em risco a saúde de pacientes e dentistas de Parnaíba

Os dentistas efetivos do município de Parnaíba apresentaram no último dia 15 de maio, na Câmara de Vereadores, reivindicações para a melhoria das condições de trabalho da categoria. Na tribuna, foram explanados dados e as informações foram comprovadas através de fotografias sobre a precariedade estrutural dos locais onde são prestados os serviços de odontologia na cidade.

As imagens mostraram as péssimas condições dos consultórios, onde os dentistas lidam com a falta de insumo, com mofos, ausência de biossegurança, ferrugem, etc.

Dias antes, Dr. Leonardo Correia, que exercia a função de coordenador de saúde bucal no município, mesmo tendo sido exonerado no dia 26 de janeiro, conforme portaria na imagem abaixo, assumido outra função posteriormente (como assistente) e agora, a função de Coordenador Geral de Contratos e Convênios do Fundo Municipal da Saúde, participou de uma sessão junto ao secretário da saúde, onde falou como coordenador de saúde bucal e relatou o bom funcionamento e boas condições do setor.

A divergência no que foi exposto por Leonardo Correia e pelos dentistas gerou debate entre vereadores e foi levantado a questão do coordenador ter ocultado informações para “maquiar” o setor.

Recentemente, Leonardo Correia se apresentou em declaração pública como Diretor do Centro de Especialidades Odontológicas – CEO, apesar da portaria apontar a Dra. Priscila Silva Alencar como a nomeada para a função. Novamente, ele contrapôs informações da categoria, ocultado a situação real da saúde bucal no município.

Alguns argumentos utilizados por ele é de que o Centro de Especialidades sem profissionais especialistas, mas parte dos profissionais do centro são efetivos, outros contratados através do processo seletivo realizado em 2016. Estão prestando serviços a comunidade desde a gestão passada, alguns deles também desde a gestão do ex-prefeito José Hamilton.

Outro argumento foi de que seria “novidade” o atendimento a pacientes com necessidades especiais, mas esse tipo de tratamento já era realizado no CEO desde a sua implantação e o atendimento em ambiente hospitalar desde a gestão passada, com convênio firmado com médico anestesista e cirurgião buco maxilo do CEO, bem como a questão dos Raios x gratuitos, que sempre ocorreram, não sendo nenhuma novidade da nova gestão.


Ficou claro, o caráter politiqueiro dado ao assunto em detrimento à segurança dos profissionais que tem exercido a função junto a população. Não é digno trabalhar e nem fornecer atendimento em ambiente mofado, sujo e sem estrutura. A população e os profissionais que fazem a saúde bucal merecem respeito!

Tacyane Machado