quarta-feira, 24 de maio de 2017

Prova objetiva do concurso da PM será reaplicada no dia 9 de julho, diz reitor

O reitor Nouga Cardoso, da Universidade Federal do Piauí (Uespi), confirmou hoje (24) que a primeira etapa do concurso da Polícia Militar do Piauí será realizada no dia 9 de julho. Inicialmente, a reaplicação aconteceria no dia 2, mas na mesma data haverá realização de outro concurso. 
Após vazamento de cinco questões da prova de português e da constatação de tentativas de fraude ao certame, o comando da Polícia Militar e o Nucepe (Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos) decidiram anular a prova, aplicada no último dia 21. 
Agora, o Nucepe continua responsável pela realização das cinco etapas do concurso, mas a prova objetiva será elaborada e impressa por uma empresa de fora do Piauí.
"Entendemos que o Piauí pede por segurança e esses candidatos aprovados devem estar atuando já no próximo ano. Então, para dar celeridade, essa foi a melhor solução encontrada. A empresa contratada é idônea e já fizemos esse tipo de contrato antes, não é algo novo para o Nucepe", disse o reitor. 
Contudo, questionado sobre os riscos de novos vazamentos da prova, o reitor manifestou-se de forma curiosa: "A única possibilidade de um indivíduo não morrer, é não nascer". E completou: "A prova deverá ser impressa em algum lugar, por mãos humanas, riscos existem em todos os concursos, como houve no Enem há três anos", lembrou. 
O reitor destacou, ainda assim, que todas as precauções para garantir a lisura do certame estão sendo tomadas e que a aplicação da prova, no Piauí, ficará a cargo do Nucepe com apoio da Polícia Civil e da PM do Piauí. 
O aditivo ao edital do concurso deverá ser divulgado na próxima segunda-feira (29), com as datas oficiais da primeira e das outras quatro etapas do certame.
Quanto às investigações sobre o vazamento, o reitor destacou que confia no trabalho da Polícia Civil. "Esperamos que desvendem esse crime, para que a Uespi e o Nucepe possam retomar os trabalhos com a confiança que sempre tivemos junto ao povo piauiense. Até o momento, não sabemos quem foi o responsável pelo vazamento". 
Um preso
Hoje, apenas um homem permanece preso, do total de 12 autuados em flagrante no dia da prova. Ele está preso preventivamente por já ter atuado em fraudes anteriores, no concurso do Tribunal de Justiça e do Corpo de Bombeiros do Piauí.
Ele é piauiense e já estava sendo monitorado por tornozeleira eletrônica. No momento da prisão, o suspeito estaria negociando um suposto gabarito da prova, que ainda será periciado. 
Depoimentos 
Ao todo, a polícia ouviu mais de 20 pessoas ligadas ao Núcleo de Promoção e Concursos (Nucepe) e à gráfica responsável pela impressão das provas do concurso.
O delegado Kleydson Ferreira, do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), responsável pela investigação, disse que ainda está sendo apurado o responsável pelo vazamento de questões do certame e que 'nenhuma possibilidade está descartada'. 
cidadeverde