quinta-feira, 22 de junho de 2017

Piauí é 1º do Nordeste na geração de empregos formais, segundo CAGED

Nesta quarta-feira (21), o Ministério do Trabalho e Emprego (TEM), divulgou os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), e de acordo com os dados, o Piauí fechou o mês com saldo positivo (0,29), o primeiro estado do Nordeste com a maior geração de empregos formais no Brasil, com 6.681 novas contratações formais.
Na região Nordeste apenas os Estados do Piauí (0,29), Bahia (0,18) e Maranhão (0,17), fecharam o mês de maio com saldo positivo na Geração de empregos formais. Vale ressaltar que desde o ano passado o Piauí vem se mantendo entre os primeiros Estados e um dos poucos do país com saldo positivo no índice medido pelo Caged.
O secretário de Estado do Trabalho e Empreendedorismo, Gessivaldo Isaias, destaca a importância de uma política pública de qualificação profissional e estímulo ao empreendedorismo e a economia solidária para o estado conseguir gerando empregos. "Temos procurado implementar com ajuda do Governo do Estado políticas públicas de geração de emprego e renda, para tanto temos investido em todas as áreas, principalmente na qualificação profissional e no incentivo ao empreendedorismo e a economia solidária, estimulando que esses dois últimos setores saiam da informalidade, para assim gerarem empregos formais. Paralelo a isso temos cobrado da nossa equipe do Sine-PI que visitem empresas em busca de vagas de trabalho para disponibilizarmos para os trabalhadores que são qualificados através dos programas da Setre. A soma de tudo isso tem se transformado em números positivos para o estado," explicou o Secretário.
Os resultados mostram que mesmo em meio à crise econômica que tem assolado vários setores da economia, o estado tem se destacado mês após mês na criação de novos postos de trabalho. De acordo com o Caged setores como agropecuária (3,00), Extrativa Mineral (2,71), Serviços (0,53), Indústria de Transformação (0,27) e Construção Civil (0,17) apresentaram avanços, o que ajudou nos números positivos do estado. Numa comparação entre admissões e demissões, o Piauí teve um saldo positivo de 113 vagas.
Das 27 unidades da federação, 13 tiveram saldo positivo de empregos em maio, ou seja, criaram mais do que fecharam vagas com carteira assinada de acordo no ranking geral do Caged. Desde o ano passado, o Piauí vem se destacando na criação de vagas. No mês de janeiro, o estado também tinha sido o primeiro do Nordeste, mantendo-se entre os três primeiros na posição em abril e agora novamente em primeiro com a criação de 6.681 vagas de empregos no mercado.
Brasil247