sexta-feira, 23 de março de 2018

Florentino Neto apresenta avanços da saúde na Assembleia Legislativa

O secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, apresentou um balanço das ações da saúde, no período de 2015 a 2018, durante o evento Pensar Piauí, realizado hoje, 22, na Assembleia Legislativa do Piauí (ALEPI). Com o tema Diagnóstico e Recomendações, o secretário mostrou os principais avanços na área, que teve a consolidação da descentralização dos serviços hospitalares como uma das principais conquistas.
Ao definir o estado em quatro macrorregiões de Saúde, situadas no Cerrado, Meio Norte, Litoral e Semiárido, o Governo do Piauí fortaleceu a alta complexidade nessas regiões, tendo como prioridade o aumento de leitos de cuidados intensivos, como Unidade de Terapia Intensiva(UTI), adulta e neonatal, além de Cuidados Intermediários Neonatais (UCIN). Ao todo, foram 67 novos leitos, tanto em Teresina como no interior. E em fase de conclusão, mais 94 para adultos e neonatal.

Outro eixo priorizado para fortalecer a descentralização, “que é a palavra de ordem do Governo”, afirmou Florentino, foi modernizar o parque tecnológico da rede hospitalar, com o Renova Saúde. Somente na primeira etapa, são destinados mais de R$12milhões, seja de emenda parlamentar ou de projetos da Secretaria. Essa ação está permitindo o aumento na resolutividade nos hospitais regionais e ainda o aumento na oferta de serviços em média e alta complexidade. “Uma pessoa lá em Picos, Floriano e Parnaíba poderá fazer uma cirurgia por vídeolaparascopia, menos invasiva, com risco de infecção menor, economia no sistema tempo de internação menor e mais comodidade ao paciente e melhores condições de trabalho para os profissionais. Lá em Luzilândia já estamos fazendo isso”.

As cirurgias ortopédicas de grande portes também serão realizadas por conta da aquisição de arcos cirúrgicos, que vão contemplar as unidades hospitalares de Parnaíba, Floriano e Picos. “Antes, estes procedimentos só poderiam ser feitas no Hospital Getúlio Vargas e Hospital de Urgência de Teresina(HUT) e agora poderão ser realizados no interior. É a alta complexidade descentralizada para estes hospitais”, enfatizou, mostrando também que a oferta do serviço de neurocirurgia, de 2017 para cá, em Parnaíba e Floriano, reduziu em 50% as transferências para o HUT.

Fonte: Sesapi