segunda-feira, 2 de abril de 2018

CRIME: Servidora denuncia que Prefeitura de Parnaíba desconta valor de empréstimo, mas não repassa dinheiro ao banco

Servidores municipais de Parnaíba têm sido surpreendidos com mensagens da instituição bancária Caixa Econômica Federal – CEF, cobrando o pagamento de empréstimos consignados. O servidor que fez empréstimos no banco tem o valor do financiamento descontado na folha de pagamento todos os meses, mas, a Prefeitura de Parnaíba, segundo a denúncia, responsável pela transferência do dinheiro, não está fazendo o repasse.

Uma servidora, que não quis ter o nome identificado, disse que tem sido comunicada constantemente por mensagem de texto em seu aparelho celular, onde o conteúdo se trata da mensalidade do empréstimo.
A Caixa Econômica Federal é um dos bancos que oferece a facilidade de empréstimos descontados no contracheque do funcionário público. O valor da parcela pro banco é feito diretamente pela prefeitura e, isto não está ocorrendo, ou seja, desconta-se do holerite do servidor todos os meses e o repasse à Caixa Econômica Federal não é feito.

Por conta disso, a Caixa está colocando o seu telemarketing para cobrar os servidores deixando número para contato com a instituição financeira para que o problema seja solucionado, apenas, para ele poder quitar e, se não quitar, terá seu nome inserido no SPC – Serviço de Proteção ao Crédito.

A servidora disse que tomará as devidas providências com relação à ação da Prefeitura de Parnaíba. O caso pode ser caracterizado como apropriação indébita. Isso pode gerar uma cassação do mandato por uso indevido do dinheiro que foi descontado do salário do trabalhador.

Os servidores que têm empréstimos financeiros com o banco e que receberem a cobrança, devem pedir para que a Caixa tome todas as medidas para resolver a situação com a prefeitura. Caso contrário, o servidor poderá entrar com uma medida judicial contra o governo municipal e cobrar a questão da improbidade administrativa. É inaceitável que o governo tenha um tipo de atitude como essa. Tirar do servidor, não repassar e ainda usar esse dinheiro para ‘tocar’ a prefeitura.

Por Tacyane Machado