segunda-feira, 9 de abril de 2018

Debandada no PSD sepulta as chances de Júlio César

Júlio César queria vaga na chapa de W.Dias (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)Júlio César queria vaga na chapa de W.Dias (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)
Um dos principais argumentos usados pelo deputado federal Júlio César (PSD) para pleitear uma vaga na chapa majoritária do governador Wellington Dias (PT) era o tamanho da bancada do partido. A sigla presidida por ele tinha quatro deputados estaduais na Assembleia Legislativa e o próprio Júlio na Câmara Federal. No entanto, tudo mudou.
Dos quatro parlamentares estaduais, três deixaram o PSD nos últimos dias. Edson Ferreira, Dr. Pessoa e Antônio Félix pularam do barco, aproveitaram o período de transferências e se filiaram ao PSDB, SD e PTC, respectivamente. Com a debandada, apenas o deputado estadual Georgiano Neto, filho de Júlio César, ficou no partido.
Se já era pouco provável que Júlio fosse conseguir participar da chapa majoritária, agora essa possibilidade está praticamente enterrada em baixo de sete palmos. Fica difícil manter o pleito com uma bancada caseira, composta somente por pai e filho. Até mesmo o número de prefeitos do partido também tem diminuído, sendo o Progressistas o principal predador.
Georgiano é único deputado estadual do PSD (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)Georgiano é único deputado estadual do PSD (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)
Com um partido esvaziado, Júlio perde força na base e sai do circuito principal das articulações para definição da chapa. De agora em diante, ele pode concentrar suas atenções somente na disputa pela Câmara Federal. Na Assembleia, Georgiano Neto é apontado por alguns colegas como candidato que consegue, sozinho, o quociente eleitoral para se reeleger. Então, para a dupla do 55, só resta a reeleição e nada mais.
politica dinamica