quarta-feira, 11 de abril de 2018

INFORMAÇÃO: Conheça aspectos da nova Lei para a regularização fundiária

A Nova Lei sancionada para a regularização fundiária trouxe regras mais flexíveis para o registro de terrenos ocupados pela união, tanto em terras urbanas e rurais. Menos exigências, mais facilidade no registro, dispensa de certidões e preferências a seus atuais ocupantes.
Estima-se que entre 40% e 70% da população urbana vivem em imóveis irregulares, o Brasil possui mais de 50% de seus imóveis com alguma irregularidade, fator resultante aproximadamente de 100 milhões de pessoas. Foram definidas algumas modalidades:  DeInteresse social (famílias de baixa renda), não precisam pagar imposto, multa ou taxa de cartório e de Interesse específico (outras famílias terão que arcar com os custos da regularização).

Quem inicia todo o processo administrativo é o município. O sistema Atlas é uma ferramenta coorporativa desenvolvida pela empresa Foxinline Technologies que auxilia em todo processo de regularização fundiária. A tecnologia propõe na coleta de dados, o uso do aplicativo AtlasApp, uma ferramenta mobile capaz de coletar dados de auxílio nos aspectos urbanos, sociais e econômico. Todas essas informações são processadas e enviadas para uma central de processamento.

“O sistema Atlas” une informações de extrema importância para justificar programas e assistências aplicadas ao município levando em consideração o perfil traçado da população. Na coleta, são armazenados de modo digital, os documentos necessários para compor no processo de regularização fundiária. www.sistemaatlas.com.br

O sócio Diretor da empresa Foxinline Technologies, Especialista em Gerenciamento de Projetos em Tecnologia da Informação, Ely Bezerra Silva Júnior faz algumas recomendações sobre regularização fundiária.

Para as Prefeituras Municipais

– Atuar no sentido de promover a regularização fundiária das áreas irregulares;
– Revisarem o Plano Diretor;
– Atuarem de forma parceira e estratégica com a empresa de serviço;
– Utilizar tecnologias para auxiliar na coleta de dados.
– Atuar em parceria com o Ministério Público e as  empresas de serviços no sentido de regularizar determinadas áreas.

Para as empresas de Serviço

– Realizar a coleta de dados através de um cadastro sócio-econômico;
- Utilizar ferramentas para auxiliar na gestão, com a capacidade de geooreferenciar e mapear as áreas irregulares.
– Capacitar técnicos próprios para atuarem junto às comunidades;
– Realizar campanhas de educacional nas comunidades, com o intuito de ensinar a importância da regularização fundiária;
– Buscar junto ao Ministério Público e às Prefeituras Municipais, mecanismos legais e institucionais que prevejam a atuação nas áreas irregulares.

Para os Moradores das Áreas Irregulares

– Buscar junto às Prefeituras soluções para os problemas de regularização, de moradia e de saneamento.
– Exigir o cumprimento das promessas políticas no tocante a regularização fundiária e ao acesso ao saneamento básico.
– Pensando nas Eleições, fazer reuniões com candidatos a prefeito e vereadores buscando compromissos de solução;
– Engajar-se nos movimentos locais que lutam por moradia e saneamento básico.