segunda-feira, 9 de abril de 2018

VERGONHA: Prefeito Mão Santa corta benefícios para parnaibanos em tratamento de câncer em Teresina

De forma vergonhosa e irresponsável, o prefeito Mão Santa em sua gestão diminuiu benefícios que amparavam pacientes da cidade de Parnaíba que fazem tratamento de câncer na capital do Estado, Teresina. As denúncias foram feitas por pacientes e familiares, que solicitaram anonimato por medo de represálias.

As maiores reclamações dizem respeito à questão do transporte, como também, hospedagem oferecida às pessoas em tratamento. Conforme a denúncia, no governo anterior, os motoristas buscavam em casa aqueles pacientes que solicitavam a autorização para o tratamento em Teresina porque eram consideradas as condições de saúde. Mas, desde o início do governo Mão Santa, o serviço realizado dessa forma foi suspenso por completo.

Familiares dizem que algumas pacientes têm grandes debilidades para sair de casa, tanto por conta dos efeitos cruéis do câncer, como também, problemas financeiros, que as deixam impossibilitadas muitas vezes, do direito de ir e vir. “Minha mãe todas as vezes que precisava passar por quimioterapia, um carro buscava na porta de casa, mas nesse governo, isso acabou, o paciente precisa se virar para estar no local marcado pela Prefeitura”, desabafou a filha de uma senhora com câncer.

“Não tenho dinheiro pra pegar nem um mototáxi, avalie outro transporte para seguir para Teresina. Ainda busco a Prefeitura porque é o jeito! Antes as coisas eram diferentes. Tô com mais de dois anos nessa luta e além de passar por uma situação dessa, a gente ainda precisa passar por certas coisas por conta de governo. É muito constrangimento”.

Outro ponto diz respeito às mudanças quanto às acomodações dos pacientes em Teresina. As pessoas em tratamento de câncer encaminhadas pela Prefeitura são acomodadas na Pensão Cidade Verde, no centro de Teresina. De acordo com os pacientes, os proprietários do estabelecimento são pessoas que fazem o possível para ajudar as pessoas que lá chegam, mas existem outros agravantes na situação.

A Prefeitura está a cinco meses em débito com o local e isso causa um grande transtorno para os proprietários, pois precisam de garantias para manter o espaço. O momento é de crise e muitas pessoas fazem uso do espaço. Outro problema é que, o município não dá mais direito à ficar na pensão, àquele paciente que vai a Teresina para uma consulta e fica apenas por um dia na cidade, ou seja, a pessoa diante das debilidades, precisa passar o dia no hospital ou noutro lugar, tendo que enfrentar várias situações num momento de vulnerabilidade.

A reportagem do Blog Extra Parnaíba entrou em contato com os responsáveis pela pensão, que confirmou o atraso no pagamento. Segundo o senhor Reginaldo, a Prefeitura se comprometeu a realizar o pagamento, mas ressaltou que é bem complicado para eles como empresários, manter os serviços diante de uma crise, com tantos meses sem receber. “Fazemos os atendimentos aqui com maior satisfação, pois entendemos as dificuldades. Fizemos uma negociação, vamos ver se vão cumprir”.

Um dos pacientes relatou ainda que, a Prefeitura de Parnaíba tem tentado diminuir os custos relativos ao tratamento de pessoas com câncer em Teresina. “É uma dificuldade para conseguir uma autorização, essa é a forma encontrada por eles para diminuir o que estão investindo na saúde”.
“Pode perguntar a quem quiser, a situação é triste. Tem gente que não tem nenhuma condição, não tem nada, só a força de vontade para lutar nesse tratamento. Antes, o negócio era diferente, o outro prefeito tinha mais preocupação com as pessoas que faziam essa viagem pra se tratar, mas é assim mesmo”, lamentou uma denunciante.

Os gestores precisam ter o entendimento, que os pacientes têm o direito de toda a assistência durante o tratamento. Não se trata de um favor, mas de oferecer condições dignas às pessoas em tratamento para que possam superar etapas tão difíceis.

É preciso uma mobilização de pacientes e suas famílias, vereadores da cidade e todas as pessoas de bem, que devem as garantias dos direitos dos cidadãos. Faz-se necessário uma ampla discussão seguida de resolução, pois quem precisa de saúde, tem pressa.

Por Tacyane Machado