terça-feira, 15 de maio de 2018

Wellington Dias está perto de resolver impasse da chapa proporcional



Governador Wellington Dias
Nesta segunda-feira (14) o governador Wellington Dias (PT), na solenidade de entrega de equipamentos hospitalares do Programa Renova Saúde, disse que está perto de chegar a um entendimento acerca da disputa proporcional para as eleições deste ano. Ele também voltou a defender o “chapão”.

O chefe do executivo piauiense disse acreditar que está próximo de um acordo na formação da chapa proporcional. “Estamos muito próximos do entendimento. Eu diria que avançamos bastante em relação ao que tínhamos no mês de abril. Eu quero agora em maio, começo de junho, dar as condições de poder anunciar aquilo que é uma vontade do conjunto, dos líderes. A gente tem que olhar aquilo que é melhor do ponto de vista do Piauí. Um time que tem responsabilidade de um projeto de desenvolvimento para o Piauí, um projeto que tem esse olhar para melhor a expectativa de vida, para melhor na educação, renda, gerando emprego, ou seja, para isso acontecer tem por trás um conjunto de líderes. Temos que ter a melhor bancada na Assembleia e na Câmara, no Senado e para eleição de governador e de vice. Ou seja, essa estratégia nós vamos fazer pensando sempre no melhor para o Piauí”, destacou Wellington Dias.

O Partido dos Trabalhadores definiu que para a disputa para deputado estadual, vai para uma chapa pura. Já para deputado federal, eles ainda não tomaram uma decisão. O fato dos petistas não estarem interessados em se aliarem com todos os partidos aliados, para a formação de um “chapão”, tem gerado críticas e o próprio governador manifestou que é a favor da união das siglas.
“Eu defendo que a gente tenha as condições de uma chapa conjunta, porque ela leva em conta a regra das eleições. A regra das eleições, ela considera que quando você tem o resultado da eleição, uma parte dos estaduais, dos federais, são eleitos pelo quociente eleitoral, quociente cheio como a gente chama popularmente. Uma outra parte, a sobra chamada, ela é feita pela média, que beneficia quem tem a maior concentração de votos em uma chapa. Mas repito, é através do entendimento que vou dialogar com todos os partidos", explicou.
Questionado se acredita que vai conseguir entendimento com PT, ele afirmou que "nós já tratamos várias outras eleições e sempre levamos em cada conjuntura o melhor para aquela conjuntura".
Disputa majoritária
Na chapa majoritária que será encabeçada por Wellington Dias, foram definidas apenas a vaga de governador e uma de senador, que será de Ciro Nogueira (Progressistas). Faltando ainda definir quem irá ocupar a de vice e outra ao senado. A indefinição tem causado preocupação aos aliados, que acreditam que isso tem prejudicado a base e tem causado atritos entre as siglas que disputam os cargos.
Questionado se já estaria certa a vice-governadoria para o MDB, o gestor desconversou. “Nós estamos tratando não só com o MDB, porque não é possível um entendimento apenas com um partido, pois temos um conjunto de partidos [para dialogar]”, finalizou Dias.

GP1